Terminologia

 

O que é o transgenderismo?

"Transgenderismo" é a ruptura com os papéis de género tradicionais. Na nossa sociedade existem dois papéis sociais «clássicos»: o de homem e o de mulher. Estes dois papéis sociais estão intimamente ligados à noção de sexo biológico. Em termos simples: espera-se que uma pessoa se comporte de determinada maneira em função dos órgãos genitais com que nasceu. As pessoas que não são homens ou mulheres «tradicionais», ou seja, as pessoas cujo comportamento é diferente daquilo que se espera são trangéneros.

Existem vários tipos de transgenderismo, sendo mais fácil dividi-los em duas categorias: as situações em que as pessoas consideram a existência apenas dos dois papéis tradicionais, independentemente de terem efectuado todo o procedimento clínico com vista a se aproximarem fisicamente ao sexo com que se identificam psicologicamente, e as situações em que consideram "homem" e "mulher" apenas mais dois entre muitos géneros.

Na primeira categoria encontram-se as pessoas chamadas transexuais primários e secundários. As primeiras sentem que nasceram no corpo errado, uma vez que psicologicamente pertencem ao sexo oposto e tentam ou gostariam de trocar de corpo para corrigir esse erro. Dentro desta categoria existem as transexuais M-F (pessoas que se sentem  mulheres, mas que nasceram num corpo de homem), os transexuais F-M (pessoas que se sentem homens, mas que nasceram num corpo de mulher) e ainda as "shemale", transexuais M-F que fizeram tratamento hormonal, vivem psico-socialmente no feminino, mas não fizeram cirurgia para correcção do sexo. As segundas, também chamadas bigendered, não desejam trocar definitivamente de corpo (muitas nem sequer desejam uma troca temporária), vivendo felizes e contentes se puderem ir vivendo os papéis de homem e de mulher alternadamente; há quem viva várias semanas em cada género e quem viva um deles só durante algumas horas.

Na segunda categoria encontram-se as pessoas para as quais não existe um rótulo, embora várias tentativas tenham sido feitas: agendered (no sentido de não pertencerem a nenhum dos géneros tradicionais), poligendered (no sentido de terem características de ambos), thirdgendered (que indica que o modelo dicotómico de géneros é insuficiente)... Estas são as pessoas que vivem fora das normas de comportamento instituídas, agindo sem ligar a estereótipos ou a convenções normativas. Vão desde a pessoa com visual e comportamento andróginos até às flame queens (pessoas a que Martin Duberman, autor do livro Stonewall, definiu como «parcialmente travestidas»), passando por todas as variações subtis que se possam imaginar.

Em qualquer destas duas categorias, que têm a ver com a psicologia das pessoas, é possível encontrar ainda situações de intersexualismo, sendo esta uma condição física. Existem vários tipos de intersexualismo: desde as pessoas que têm um comportamento típico de um dos sexos e um corpo aparentemente do outro (alguns estudos apontam para a existência de cérebros morfologicamente femininos em mulheres transexuais, ou seja em pessoas que tinham um corpo tipicamente masculino e se sentiam mulheres) até às pessoas cujo corpo é ambíguo (possuindo mesmo um pequeno pénis e uma vulva), passando pelas pessoas cujo corpo parece ser «normal» mas cujo cariótipo revela que seria de esperar que tivessem nascido com um corpo do sexo oposto. Geralmente o termo "hermafrodita" ou "intersexual" é usado para designar pessoas que possuem elementos dos dois aparelhos reprodutores (um ovário e um testículo ou uma vulva e testículos, por exemplo).

O que é o género?

Embora ainda existam teorias que defendem que "género" é sinónimo de "sexo" há escolas filosóficas que defendem uma distinção entre os termos. Afinal, nem todas as mulheres, por exemplo, se comportam da mesma maneira: não usam todas a mesma linguagem, os mesmos interesses, as mesmas capacidades, a mesma simpatia, a mesma agressividade, o mesmo romantismo... E é por isso que muita gente usa o termo "género" como sinónimo de qualquer coisa como "papel social" ou um "tipo de pessoa". O género é assim uma coisa bastante independente do corpo de cada um(a).

Qual é a diferença entre a homossexualidade e o transgenderismo?

A homossexualidade é uma orientação da atracção emocional e sexual. Refere-se às pessoas de quem gostamos. O transgenderismo refere-se a quem sentimos que somos. Diz respeito aos papéis sociais, ou seja, às formas de (inter)agir. Refere-se à imagem que as pessoas constroem através do vestuário e/ou do comportamento (os gestos que usam, a maneira como falam, as reacções que têm...). Uma pessoa transgénera pode considerar-se homossexual (se for uma mulher transexual que gosta de mulheres, por exemplo), mas quando as pessoas são agendered costumam achar que não faz sentido dizerem-se do sexo X e atraídas por pessoas do sexo X ou Y. Estas pessoas também se auto-denonimam frequentemente de queer.
 

Agradecimento: Rede Ex Aequo